Francisco Maia & Associados
   

Telhados brancos

Uma das grandes preocupações atuais da humanidade refere-se ao fenômeno do aquecimento global, cujas notícias são realmente assustadoras, especialmente quando são reveladas previsões aterrorizantes sobre seus efeitos sobre as geleiras, o que trará consequências imprevisíveis sobre o nível dos oceanos.

Dessa forma, surgem a cada dia novas idéias sobre as formas de reduzi-lo, como o projeto One Degree Less, um programa do Green Building Council Brasil para a qualidade de vida nas cidades brasileiras, que lançou uma campanha sugerindo que os telhados das casas e prédios sejam pintadas de branco.

Esta iniciativa toma por base um estudo desenvolvido no Lawrence Berkley National Laboratory, dos Estados Unidos, pelo pesquisador Akbari Hashem, cujo resultado pode ser a diminuição em 1º,0 C na temperatura das ilhas de calor existentes nos grandes centros urbanos.

 Esse é um conceito que caracteriza áreas urbanas que apresentam temperaturas de 1 a 6º C maiores que áreas rurais situadas na mesma região, resultado da retenção e da radiação da luz solar pelos edifícios e do calor resultante do uso de energia elétrica.

Especialistas brasileiros concordam com a teoria desenvolvida nos Estados Unidos, uma vez que os corpos escuros realmente absorvem radiação, enquanto os corpos claros, ao contrário refletem, portanto a aplicação do telhado branco resulta em menor aquecimento, com diminuição no uso do ar-condicionado e consequente economia de energia elétrica.

Existe uma ressalva quanto às cidades que possuem temperaturas mais amenas, onde o uso do ar-condicionado não é tão intenso, o que leva a imaginar que o resultado pode ser inexpressivo, pois nos dias frios o ambiente irá necessitar de aquecimento, o que levará ao aumento no consumo de energia.

No monitoramento do estudo americano, entretanto, onde foram acompanhados dez edifícios na Califórnia e na Flórida, ficou demonstrado que a sua aplicação resultou em economia de 20% a 70% do uso anual de energia gasta em resfriamento, sendo que na Califórnia já existe uma lei que obriga os edifícios comerciais a terem os telhados pintados em branco, e a tendência é de estender a obrigação a residências.

As contas apresentadas no estudo não deixam de ser otimistas, parda cada 100 metros de telhado pintado de branco haveria uma compensação de dez toneladas de emissão de CO2, citando que, até 2040, 70% da população mundial deverá estar vivendo nas cidades, onde cerca de 25% da superfície são cobertas por telhados, e outros 35% por pavimentos.

Por este raciocínio, se somente os telhados forem pintados de branco, a compensação será de 24 bilhões de toneladas de CO2, o que, em um espaço de 20 anos, seria o mesmo que retirar das ruas metade dos carros que rodam em todo o mundo a cada ano do programa.

Para se ter uma exata noção dos números trazidos no estudo, em 2004, as emissões mundiais totalizaram cerca de 27 bilhões de toneladas, sendo que o Brasil foi responsável por 1,2 % do total, o que nos leva a deduzir que, para neutralizar as emissões de dióxido de carbono do país em 2004 seria necessário a pintura de 3,3 bilhões de metros quadrados de telhados.

 

Belo Horizonte
Rua Congonhas, 494 -Santo Antonio
CEP 30330-100 Telefone: (31)3281.4030
email: geral@precisaoconsultoria.com.br